Contra a Injustiça

Seja na América Latina, África, Ásia, Europa ou América no Norte os Espiritanos enfrentam a pobreza e a injustiça. Nós estamos:

  • envolvidos na luta pelo desenvolvimento, pela mudança de estruturas injustas e na defesa dos direitos humanos;
  • cada vez mais conscientes dos mecanismos de opressão econômica, social  e política do povo;
  • cientes de que às vezes fazemos concessões a essas estruturas;
  • conscientes de que nossa atividade missionária não teria sentido e tornar-se-ia infiel  ou  mesmo alienada à mensagem de Cristo se fugisse dessa luta.

Circunstâncias em Mudança no Mundo Contemporâneo

Durante os Capítulos Gerais de 1968/69, 1974 e 1980, a Congregação  do Espírito Santo progressivamente definiu seu papel na missão da Igreja. Em 1980, o  Superior Geral relatou:

“As mudanças que estão afetando a nossa vida missionária não são passageiras, não são fenômenos superficiais; elas refletem as mudanças no mundo e aprofundam a renovação na Igreja. A nova era da missão é caracterizada….pela transferência do centro de gravidade do cristianismo, em termos numéricos, para o Hemisfério Sul”.

A responsabilidade pela evangelização é agora compartilhada com jovens Igrejas nascidas da missão de ontem. As missões não mais partem da Europa ou América do Norte para o Hemisfério Sul. Elas se originam em todas as partes do mundo, enquanto os antigos países “cristãos” são os que estão a necessitar de uma nova evangelização.

“A nova era da missão, assim, envolve uma grande diversificação da atividade missionária. Os campos de evangelização mudam como também os métodos e parceiros…Mais que nunca a evangelização é vista como a encarnação da Palavra de Deus. Ela penetra em diferentes culturas e encontra lugar no coração das pessoas. É sempre fonte de uma vida nova que conduz as pessoas em direção ao Pai. Os Espiritanos estão comprometidos com a renovação da evangelização indo ao encontro de pessoas e religiões sem contudo procurar dominá-las.